BLOGleias as últimas publicações

Muitos tutoriais e dicas sobre Windows Server, Linux, Servidores e muitos outros

Tutorial - Abrindo configurações avançadas Roteador Coletek W-N2120 Vivo Fibra

Após uma vasta procura na net e sem sucesso. Ou melhor, com algumas junções de informações. Consegui descobrir como alterar as configurações do roteador COLETEK W-M2120N. Suei e muito… kkkkk

Eu precisava deixar o ROTEADOR para atribuição de IP DINÂMICO. As configurações padrão deixava apenas a opção de PPPOE da VIVO.

Mas vamos lá. Hoje apenas vou explicar como ter toda a configuração do COLETEK W-M2120N com base OPENRG. 

Veja as configurações originais…

Bom vocês necessitaram dos seguinte programa para que possamos baixar os arquivos de configuração do roteador. O software é o TELNET2764.

FAÇA DOWNLOAD TELNET2764

Feito o DOWNLOAD do arquivo, abra o TELNET. Conforme imagem abaixo;

Por padrão a gateway rede é 192.168.1.1. Altere o endereço de ip pelo GATEWAY do seu roteador. 

Eu poderia aqui, informar como descobrir o GATEWAY. Mas tem um detalhe, caso não tenha esta experiência com rede. Não aconselho continuar tal feito, pois é por sua conta e risco, caso venha danificar seu roteador.

O username é admin e a senha são os quatros últimos alfanumérico do MAC do roteador. Você irá encontrar esta informação no fundo do ROTEADOR ou na caixa onde ele encontrava-se acondicionado.

Clique em GET CONFIG. O TELNET2764 vai trazer as informações do modem. Muito cuidado com estas informações e como você deve altera-lá. Pois pode não deixar seu ROTEADOR voltar a funcionar.

Poderia explicar como funciona as ROLES de configuração. Mas gastaríamos muito tempo aqui. Deixa para um próximo post.

Encontre a ROLE USER, neste objeto esta a configuração do usuário. Quando você conectar na pagina do roteador, existe apenas um usuário, correto??? Mas não, como você vera no arquivo de configuração, existe mais alguns usuário. E além disso, existe a categoria. Por padrão da TELEFONICA ou VIVO como queriam, a categoria do usuário ADMIN esta como HOME, precisamos alterar ele para SUPER (todos os poderes).

Não se esqueça de clicar no checkbox UNLOCK CONFIG TO ALLOW MANUAL EDITING. Caso contrario, você não conseguirá editar o arquivo.

Localize o (username(admin)), logo abaixo tem um objeto chamado (rule(home)), Altere este campo para (role(super))

Alterado, clique em PUT CONFIG. Pronto seu arquivo já encontra-se alterado e enviado. 

Abra o browser de preferencia, conecte no seu roteador. Introduza usuário e senha. Verá agora que aumentarão os números de campos de configuração, edição de configurações no seu formato desejado.

Caso necessite dar um RESET de FABRICA, o roteador voltará a ter as mesmas configurações anteriores.
Veja o VIDEO que preparei para as minhas configurações de IP DINAMICO.

A Vivo fez bloqueios nas paginas de acesso .CGI e da porta 23 de Telnet para Firmware a partir de Março/2015. Para quem tem problemas com erro 404 no telnet, segue a dica abaixo:

1. Identificar os últimos 8 números do MAC Address - ex. AAFFEE00 2. Acessar http://192.168.1.1/padrao 3. Inserir o usuário: support senha: ex. AAFFEE00 4. Acessar Sistema>Manutenção 5. Fazer o download das configurações; 6. Alterar a role do admin - conforme video; 7. Submeter novamente o arquivo de configurações


Assista o Video

Crimpagem de Cabo de Redes CAT5e

Além dos cabos sem blindagem conhecidos como UTP (Unshielded Twisted Pair), existem os cabos blindados conhecidos como STP (Shielded Twisted Pair). A única diferença entre eles é que os cabos blindados além de contarem com a proteção do entrelaçamento dos fios, possuem uma blindagem externa (assim como os cabos coaxiais), sendo mais adequados a ambientes com fortes fontes de interferências, como grandes motores elétricos e estações de rádio que estejam muito próximas. Outras fontes menores de interferências são as lâmpadas fluorescentes (principalmente lâmpadas cansadas que ficam piscando), cabos elétricos quando colocados lado a lado com os cabos de rede e mesmo telefones celulares muito próximos dos cabos.

Continuar...

O que são as portas WAN e Uplink e para que elas servem

Na terminologia usada nas redes de computador, “uplink” é o nome de uma conexão feita de um dispositivo ou uma rede pequena para uma rede maior. As portas “uplink” permitem conectar tipos diferentes de dispositivos Ethernet quando, por exemplo, ao ligar uma rede local a um modem, a uma outra rede ou até com a própria internet, que é a maior rede de todas.

Porta WAN ou Uplink

Normalmente se usa uma porta uplink para fazer duas coisas:

Conectar um roteador a um modem de banda larga, com a finalidade de compartilhar uma única conexão entre vários usuários.

Conectar um dispositivo uplink (como um roteador ou switch) a outro dispositivo. Ligue a porta uplink de um switch, por exemplo, numa porta Ethernet normal em outro switch, e assim você estaria expandindo o tamanho da rede.

Por outro lado, as conexões uplink podem não funcionar quando:

Se liga uma porta uplink na outra, ou

Um computador está ligado numa porta uplink

Por que isto acontece? É que as portas uplink invertem o sinal que lhes chega. Para você entender o porquê disto, é interessante saber como os sinais são transportados nos cabos crossover, e porque é preciso usar um cabo crossover para interligar duas portas uplink.

Padrões T568A e T568B para cabos Ethernet

Os cabos para rede Ethernet são aqueles de cor azul ou cinza que você já deve çonhecer, nas categorias CAT5 e CAT6, onde se liga dois conectores RJ-45 em cada ponta.

Estes cabos contêm quatro pares de condutores, numerados de 1 a 8 e coloridos nas cores laranja, azul, verde e marrom. O segundo fio de cada par tem as mesmas cores básicas, porém rajado de branco.

Cada um destes pares transporta um tipo de sinal e, em comum entre os pares, é que um dos seus fios fica encarregado da recepção dos dados, enquanto o outro cuida da transmissão. Assim, para cada par, numa das pontas está o emissor do sinal (chamado TD+) , e no outro está o receptor (chamado TD–).

Dentro de um switch os sinais são invertidos, de maneira a ligar o micro emissor de dados com o micro receptor do outro lado.

A diferença de uma porta uplink para as outas portas Ethernet é que a porta uplink não faz esta inversão de sinais. Assim, se você precisa ligar duas portas uplink ou se quiser ligar dois computadores um no outro, sem passar por um switch, será então preciso utilizar um cabo denominado “crossover”.

Posição dos pinos cabo de rede padrão T768A (clique para ampliar)

O cabo crossover usa os mesmos materiais do cabo Ethernet comum, só que a forma de ligar os conectores é diferente, justamente para fazer no próprio cabo a inversão de sinais que deveria estar sendo feita num switch.

Posição dos pinos cabo de rede padrão T768A ligado em modo crossover(clique para ampliar)

O cabo crossover usa os mesmos materiais do cabo Ethernet comum, só que a forma de ligar os conectores é diferente, justamente para fazer no próprio cabo a inversão de sinais que deveria estar sendo feita num switch.

Existem duas formas padronizadas para ligar os pares de fios dos cabos CAT5 e CAT6 aos conectores RJ-45. Elas são denominadas T768A e T768B. O padrão mais utilizado é o primeiro (T568A) mas nada impede que se utilize também o segundo, visto que a diferença vai apenas para as cores dos fios, uma vez que, eletricamente falando, os dois padrões são iguais. Pode-se inclusive utilizar os dois padrões numa mesma rede, que vai funcionar normalmente, vai ficar apenas um pouco mais lenta, mas imperceptível ao usuário comum.

No cabo Ethernet padrão T768A as ligações dos terminais são feitas conforme mostrado na figura ao lado direito acima:

Caso queiramos fazer um cabo crossover no mesmo padrão T768A as ligações ficam conforme mostrado na figura ao lado esquerdo:

Esquemas de ligação das portas uplink

Agora que você já sabe a diferença entre os cabos, poderá entender como utilizar as portas uplink. Entenda que poderá conectar dois dispositivos Ethernet usando as portas uplink apenas se estiver utilizando um cabo crossover. Da mesma forma, a ligação de um computador numa porta uplink com um cabo comum não vai funcionar. A ligação só ficará correta se utilizar um cabo crossover. A figura abaixo resume estas três alternativas:

Posição dos pinos cabo de rede padrão T768A ligado em modo crossover(clique para ampliar)

Portas multiuso e compartilhadas

O sistema interno de uma porta uplink foi desenhado para suportar apenas dispositivos uplink. Isto parece óbvio, mas precisa ser dito porque as portas Ethernet dos switches e roteadores modernos são projetadas para funcionar em modo multiuso, ou seja, elas operam tanto no modo normal como no uplink, dependendo do tipo de dispositivo a elas conectado. Alguns equipamentos de rede antigos, no lugar destas portas multiuso, trazem uma porta uplink para serem ligados a outros switches e roteadores, ou então trazem uma porta Ethernet padrão próxima à saída uplink. O projeto destes produtos antigos permite fazer conexões na porta uplink ou na porta padrão, porém não em ambas simultaneamente, pois uma das duas fica inoperante enquanto a outra funciona.

Em suma...

Atualmente você verá portas uplink apenas nos roteadores e em equipamentos de rede sofisticados. Os roteadores e switches atuais trazem portas ethernet multiuso, em que os circuitos detectam automaticamente que tipo de cabo está ligado a eles (crossover ou normal) e se auto-chaveiam para que funcionem bem. De agora em diante, sempre que encontrar uma porta chamada uplink, WAN ou Internet você já sabe para que ela serve: interligar a rede local a uma outra rede, que costuma ser a própria conexão de banda larga a internet.

Leia outros artigos